top of page

Jordão realiza Programa Ação Saberes Indígenas (MED/IFAC) e Escolas vivas nos meses de outubro

Jordão realiza Programa Ação Saberes Indígenas (MED/IFAC) e Escolas vivas nos meses de outubro e novembro

Nos meses de outubro e novembro de 2023, as escolas indígenas de Jordão estão promovendo um programa educacional inovador sob a coordenação da Prof. a Dra. Laura Castro (UFBA) e da Prof.a Dra. Maria Inês de Almeida (UFMG).


Este programa inclui uma série de oficinas de criação de materiais didáticos, orientadas por mestres do saber Huni Kuin e com a participação de professores indígenas da rede municipal. Essa iniciativa está sendo realizada no âmbito de um curso de formação continuada oferecido pelo Programa Ação Saberes Indígenas, uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Federal do Acre (IFAC), em cooperação técnica com o projeto "Escolas Vivas: pedagogias territorialidades e materiais didáticos diferenciados para promoção da interculturalidade como política de educação pública" (CNPq/UFBA).

O objetivo dessas atividades é promover a interculturalidade na educação e fortalecer as práticas pedagógicas nas escolas indígenas, respeitando as especificidades culturais e linguísticas dos povos Huni Kuin. Com o apoio da Prefeitura Municipal de Jordão, representada pelo prefeito Naudo Ribeiro, e da Secretaria Municipal de Educação, liderada por Meira Sergio, a equipe gestora está se preparando para o II Seminário de

Pesquisas da Escola Indígena.


Este evento, que ocorrerá na Aldeia Boa Vista entre os dias 15 e 20 de novembro de 2023, tem como obietivo revisar o Projeto Político Pedagógico (PPP) das escolas Huni Kuin de Jordão, a partir da base curricular comum elaborada pelos próprios professores indígenas.


O Prof. Dr. Joaquim Mana coordenará o seminário, que terá toda a sua programação voltada para a implantação do currículo específico e a apresentação dos resultados das oficinas, incluindo o material didático produzido pelos professores sob a orientação dos mestres bolsistas e o apoio técnico dos pesquisadores envolvidos nos respectivos projetos.

Meire Sergio, Secretária de Educação, destacou a importância dessa parceria entre as instituições de ensino superior e a comunidade indígena, além de agradecer a dedicação das professoras Prof.a Dra. Laura Castro (UFBA), Prof.a Dra. Maria Inês de Almeida (UFMG) e do Prof. Dr. Joaquim Mana. Ela ressaltou que a produção de material didático pedagógico nas línguas nativas, como o Hātxakui, facilita o aprendizado dos alunos e contribui para a preservação da cultura indígena.


O prefeito Naudo Ribeiro expressou sua gratidão ao Cacique Elias por abrir as portas da aldeia para a realização deste projeto a professoras Prof.a Dra. Laura Castro (UFBA), Prof.a Dra. Maria Inês de Almeida (UFMG) e do Prof. Dr. Joaquim Mana e as demais pessoas envolvidas neste projeto, projeto este que representa um avanço significativo na promoção do ensino indígena. Ele enfatizou a importância de melhorar a qualidade do ensino e dos materiais didáticos destinados aos povos indígenas como parte do compromisso com o desenvolvimento educacional dessas comunidades.


0 comentário

Comentarios


bottom of page