top of page
  • Foto do escritorPrefeitura de Jordão

Máquinas submersas e seca do Rio Tarauacá preocupam autoridades locais no município de Jordão

Em meados de abril, as máquinas da prefeitura do município de Jordão, que afundaram durante o transporte, permanecem submersas nas águas. Mesmo com a seca do rio, as autoridades locais ainda não conseguiram retirar as máquinas do local. Além disso, preocupa o fato de que o Rio Tarauacá, onde o município está situado, está com um nível de seca incomum para o mês de maio, segundo relatos das autoridades.


O prefeito Naudo Ribeiro, nascido e criado às margens do Rio Tarauacá, expressou sua preocupação em relação ao abastecimento de insumos para a população. Com a diminuição do nível do rio, existe o risco de escassez de combustível para a usina de produção de energia da cidade. Além disso, a maior preocupação é o abastecimento de alimentos, já que a população aumentou de cerca de 7 mil para 11 mil habitantes. Com o rio nessas condições, os comerciantes estão enfrentando dificuldades para chegar à cidade com mercadorias.


Atualmente, uma viagem de barco com 2,5 toneladas de mercadoria está levando cerca de 8 dias para chegar ao município, existem embarcações de maior porte já 14 dias ilhadas sem navegar pois o rio não esta dando condições navegação e a temporada de verão ainda não começou. Isso significa que, provavelmente, será necessário reduzir a carga para 1 tonelada ou até menos, caso contrário, não será possível chegar ao município, que já é considerado um dos mais de difícil acesso do Acre. Já há discussões em andamento sobre a possibilidade de decretar estado de calamidade pública devido à seca do Rio Tarauacá.


Este veículo de comunicação faz um apelo às autoridades estaduais e federais para que olhem com compaixão para essas pessoas que já enfrentam tantas dificuldades nos municípios da Amazônia. É fundamental que sejam tomadas medidas urgentes para garantir o abastecimento de insumos, alimentos e outros recursos essenciais para a população afetada pela seca do Rio Tarauacá.



Comments


bottom of page